supervisão

Amir Haddad . supervisão

Amir Haddad é diretor e professor de teatro, diversas vezes premiado. Seu trabalho, nacional e internacionalmente reconhecido, tem como objetivo recuperar o sentido de festa do teatro e a dramaticidade das festas populares, ressaltando os aspectos de pesquisa e de educação que norteiam suas buscas pela transformação do teatro, comprovados pela constância e persistência com que desenvolve núcleos de trabalho – espaços de desenvolvimento de seus questionamentos sobre o ator como indivíduo, o espaço e a dramaturgia – e pela prática permanente enquanto educador.

Considerado um dos maiores encenadores do Brasil, o criador do Grupo “Tá na Rua”, iniciado em 1980, leva a arte do teatro para o espaço aberto das ruas e praças, ressaltando a importância das comemorações populares na vida social e cultural das cidades. Amir Haddad recupera para o teatro o seu sentido de festa popular, dela resgatando sua dramaticidade.

Dos palcos às salas abertas, das quadras às ruas e às praças, rompeu a quarta parede para abrir um caminho em direção a um teatro vivo e transformador para quem o vive e o faz. Como resultado de suas pesquisas e investigações, nestas áreas do teatro, desenvolveu ferramentas eficientes para a construção de um ator que responda ao sentimento contemporâneo, ao mesmo tempo em que o instrumentaliza para uma leitura aguda e profunda da trajetória humana e da dramaturgia produzida pelo teatro em todos os tempos.

Últimos trabalhos: Simplesmente eu, Clarice Lispector, de Beth Goulart, 2010; As Meninas de Luiz Carlos Goes e Maitê Proença, baseado no livro Uma Vida Inventada, 2009; A Alma Imoral de Clarice Niskier, 2006; Dar não Dói, o Que Dói é Resistir, 2004; O Mambembe de Artur Azevedo, 2004.